jump to navigation

Preferência 14 agosto, 2009

Posted by Alysson Amorim in Poesia.
trackback

Lêdo Ivo, em O rumor da noite, Ed. Nova Fronteira

Aos pássaros que gorjeiam prefiro os que grasnam
como os corvos ou  os que piam na escuridão
como as vigilantes corujas brancas que infestam os meus
bosques.

O canto melodioso amolece os corpos
e anestesia as almas que renunciam à reflexão e ao tormento
e temem o rumor do dia predatório.
Sempre desejei que o meu reino fosse o da dissonância:
do gavião que, pousado na estaca, rumina a sua impiedade,
dos pássaros grasnantes que incomodam os partidários de uma
regência musical do mundo
como se estivéssemos num teatro, ouvindo uma sinfonia.
Ao gorjeio que conduz ao deleite e embala o sono
oponho o grasnido que semeia
a insônia e o desconforto.

Anúncios

Comentários»

1. Janete Cardoso - 14 agosto, 2009

Sou um pouco inconstante. A vida é feita de momentos de gorjear e momentos de grasnar. O importante é a autenticidade. Se o impulso vem de dentro realmente.

2. Rondinelly - 15 agosto, 2009

Exclamação!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: