jump to navigation

Coração no lugar errado 10 junho, 2009

Posted by Alysson Amorim in Blogar.
6 comments

Minha sina não é realizar projetos, mas sepultá-los antes que eles tomem corpo – mesmo sabendo de antemão que eles jamais chegariam a ponto tão admirável. Queimaria alegremente esse amarelo fosco se ele pudesse ser queimado, se a boca do fogo não o repelisse com seu retumbante riso de indiferença. O criador consciente do pecado que é deflorar uma página em branco, já insuportavelmente arrependido, procura se redimir.

Não me foi dada ainda aquela redenção, pois o fogo pode queimar Sodoma e pode queimar o peito que ama, mas não queima rabiscos em tintas foscas, que com as melhores intenções não tencionavam convencer o “alheio entendimento” e mover a “alheia vontade”.

Ouvi nos últimos dias a voz grave e boa de Chesterton, e ela me acusava de ter “um coração heroicamente grande e generoso; mas não um coração no lugar certo.” Devo confessar que nunca me senti tão culpado por um crime, e paralelamente tão satisfeito por descobrir-me um criminoso precisamente onde achava que era um herói.

Talvez sepulte a tinta fosca, ou talvez a defraude. Só lhes peço um favor: não venham até aqui esperando o mesmo de sempre: ou toparão com um cadáver ou toparão com um monstro, ou ainda – e isso é terrivelmente pior – toparão com o mesmo de sempre.

Uma heresia 15 maio, 2009

Posted by Alysson Amorim in Blogar, Uncategorized.
14 comments

Merece repúdio. Em lugar nenhum do planeta se fecha uma Gruta tão arbitrariamente. Nem Aécio, o rei de Minas, que esfola os próprios eleitores sem jamais perdê-los, sairia ileso se fechasse Maquiné ou Lapinha. Uma Gruta é uma coisa tão sagrada quanto as maltrapilhas lágrimas que acolhe. Fechá-la é heresia.