jump to navigation

Agulhas desalinhadas 25 outubro, 2009

Posted by Alysson Amorim in Uncategorized.
trackback

Nasci no primeiro Shabat, não da argila de uma mulher ou da costela de um homem; nasci sem causa e sem destino, costurado com as agulhas desalinhadas do sonho. O primeiro homem, imaculado, coração no centro do peito, caiu sob a cólera de meu aço. Meu testemunho confiável é que no instante em que o sangue de Abel manchava a terra, já ali nada restava do homem projetado, da pedra zelosamente talhada.

Triunfou desde então o sonho absurdo, e multiplicou-se entre urros de dor e gemidos de prazer. Cá estamos.

****

I. No sétimo dia
II. Agulhas desalinhadas

Anúncios

Comentários»

1. Janete Cardoso - 26 outubro, 2009

Heita, como eu gosto de você!
É muito bom entrar aqui e encontrar sua companhia.

Engraçado como naturalmente tomamos as dores de Abel e repugnamos Caim, sem perceber que ele é o espelho do que nos tornamos. Peregrinos num pesadelo.

beijo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: