jump to navigation

Coração no lugar errado 10 junho, 2009

Posted by Alysson Amorim in Blogar.
trackback

Minha sina não é realizar projetos, mas sepultá-los antes que eles tomem corpo – mesmo sabendo de antemão que eles jamais chegariam a ponto tão admirável. Queimaria alegremente esse amarelo fosco se ele pudesse ser queimado, se a boca do fogo não o repelisse com seu retumbante riso de indiferença. O criador consciente do pecado que é deflorar uma página em branco, já insuportavelmente arrependido, procura se redimir.

Não me foi dada ainda aquela redenção, pois o fogo pode queimar Sodoma e pode queimar o peito que ama, mas não queima rabiscos em tintas foscas, que com as melhores intenções não tencionavam convencer o “alheio entendimento” e mover a “alheia vontade”.

Ouvi nos últimos dias a voz grave e boa de Chesterton, e ela me acusava de ter “um coração heroicamente grande e generoso; mas não um coração no lugar certo.” Devo confessar que nunca me senti tão culpado por um crime, e paralelamente tão satisfeito por descobrir-me um criminoso precisamente onde achava que era um herói.

Talvez sepulte a tinta fosca, ou talvez a defraude. Só lhes peço um favor: não venham até aqui esperando o mesmo de sempre: ou toparão com um cadáver ou toparão com um monstro, ou ainda – e isso é terrivelmente pior – toparão com o mesmo de sempre.

Anúncios

Comentários»

1. João Marcos - 10 junho, 2009

irmão, estas palavras me fazem pensar e pensar. Penso que nunca devo ter imaginado a mistura de culpa e satisfação relativa a um coração generoso. Ainda penso e penso, sobre isto; porem somente uma Paz (CL 3:15) confirma o lugar de um coração; a voz acusadora de um poeta, ainda em atraente acusação, é digna de toda dúvida.

2. Janete Cardoso - 10 junho, 2009

“Talvez sepulte a tinta fosca”
Não se atreva! 😦

3. rubens osorio - 10 junho, 2009

Cadáver, monstro ou o mesmo Alysson de sempre; pra mim tanto faz. O importante é o amarelo, mesmo fosco, continue a colorir minhas reflexões. Ajudam-me a viver…

4. Luiz Henrique (Lou) Mello - 10 junho, 2009

Prometa solenemente que sempre o encontraremos aqui e não outro! Agora o blog, pode mudar quantas vezes quiser. Mas, aviso, tá cheio de conservadores (as) por aí.

5. hernan - 13 junho, 2009

Se fosse possível silenciar a voz interna que impele a escrever a fim de simplesmente dizer, mesmo que ninguém leia, e desentranhar o que se vai acumulando ao longo da experiência de estar vivo…
Quanto a ser herói ou criminoso, todos somos um pouco de cada coisa, em maior ou menor medida. Isso é inevitável.

6. Felipe Fanuel - 20 junho, 2009

Cara,

Eu nunca espero que você fale a mesma coisa. Aliás, faz parte do seu caráter a sede pelas diferentes coisas que deseja expressar. Não sei até quando esse negócio de blog vai durar, mas tudo que a gente já viveu aqui, de modo fosco, merece sagrado respeito. Deixa eu acender logo a minha vela. Afinal, tudo que morre ressuscita. Caso contrário a epifania mora logo ali na aurora.

Um abraço.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: