jump to navigation

Imprevisível 20 fevereiro, 2009

Posted by Alysson Amorim in Futebol.
Tags:
trackback

Não o gol: a imprevisibilidade é o encanto maior do futebol. Disso sabem seus admiradores; qualquer conversa que descambe para o futebol – e em terras brasileiras o dificil é achar uma que não encontre esse rumo, acaba mencionando, explícita ou implicitamente, a ideia contida no famoso ditado da caixinha de surpresas.

Estive no Mineirão hoje, estreia do Cruzeiro na Taça Libertadores contra o Estudiantes de La Plata da Argentina. O primeiro tempo foi horrivelmente morno, traduzido em um placar zerado. A entrada do estreante Kléber no segundo tempo, resposta do treinador ao um pedido apaixonado da torcida, esquentou a chaleira.

Em não mais que quinze minutos a tepidez dos outros setenta e cinco foi redimida. Não pelo “futebol de poesia” tupiniquim,  que encheu os olhos do cineasta Pasolini na final da copa de 70.  A redenção veio de um dionisíaco: Kléber, o estreante, colocado em campo não por Adílson Batista, mas pela eufórica China Azul. Pouco após sua entrada, um pênalti, e o Cruzeiro abre o placar pelos pés de Fernandinho. Minutos depois, Kléber marca um e depois outro. Nesse segundo tira  a camisa e é punido com o amarelo – gesto proibido em terras tropicais, mas que provavelmente não era punido na glacial Ucrânia, onde Kléber defendou o Dinamo de Kiev. Ironia.

Dois ou três minutos depois, uma entrada dura em Verón e nosso protagonista recebe o vermelho. Expulso. Não ficou em campo quinze minutos; o suficiente porém.

Anúncios

Comentários»

1. Felipe Fanuel - 20 fevereiro, 2009

Cara,

Que beleza de texto! Como é bom saber que o seu amigo toce pelo mesmo time que você! Aliás, as notícias do jogo de ontem não passaram de mais um jogo vencido pelo glorioso Cruzeiro. A boa nova mesmo eu encontrei aqui. Dá pra se sentir lá no Mineirão. Este ano quero continuar a fazer minha parte aqui no Maraca e torcer para que sempre triunfemos contra os cariocas.

Zero!

2. Lou Mello - 20 fevereiro, 2009

Muito boa sua crônica. Pena ser mineiro e visitar o Mineirão. Gostaria de ver seu talento no Pacaembú e vestido de preto e branco. 🙂


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: